Textos | Poerônicas | Cronesias.

Mês: abril 2011

Sem enlouquecer eu nem quero

Sem enlouquecer eu nem quero

Acabou a poesia do mundo ou é só impressão? Cadê aquilo tudo que a gente planeja viver e só não vive porque o destino é autoritário e meio vingativo? O negócio tá feio. 14 horas por dia de trabalho, dois filhos, casa, Alma e 137 […]

A vaquinha, o ferro quente e o ser humano.

A vaquinha, o ferro quente e o ser humano.

Dois dias inteirinhos com todos os segundos de ambos só para mim e mesmo assim, que adianta? Significar as coisas, como quem marca a coitada da vaquinha com ferro quente tem disso, de ficar sem dormir, de só descer água, de não conseguir entender, de […]

Voar é preciso

Voar é preciso

      Do quadrado que é a varanda de seu quarto, Maria observa lá de cima. Duas ou três delas jogam um futebol descoordenado, mas e daí? Quem precisa de futebol arte e gols para ser feliz? Na cama elástica só pode um por […]