Textos | Poerônicas | Cronesias.

Mês: outubro 2010

A vaquinha, o ferro quente e o ser humano.

A vaquinha, o ferro quente e o ser humano.

Dois dias inteirinhos com todos os segundos de ambos só para mim e mesmo assim, que adianta? Significar as coisas, como quem marca a coitada da vaquinha com ferro quente tem disso, de ficar sem dormir, de só descer água, de não conseguir entender, de […]

Demodê

Demodê

Tá e agora?  Agora eu volto a dançar uns passos que já tinha esquecido porque afinal de conta, faz quanto tempo que eu não danço? E faço umas caretas bem tenebrosas na frente do espelho enquanto a água do banho esquenta e faz aquele vapor […]

A bola de papel, o carnaval e o fim do inferno

A bola de papel, o carnaval e o fim do inferno

Duzentas tentativas e virou bola de papel amassado. Esmagado na força dos dedos murchos de tanta água na banheira da vida onde bóiam as histórias. Não há mágoa sem amor, meu bem, mas o inverso é válido em alguns casos. Há dias o micro não […]

O dia em que minha psicóloga pediu para sair.

O dia em que minha psicóloga pediu para sair.

Aquela tarde comecei o regurgito semanal dizendo que estava decidida a mandar o mundo pro meio daquele lugarzinho apertado e fedido se ele insistisse em continuar com essa mania de julgar todos os meus suspiros. Porque eu estava cansada de lutar contra a minha natureza […]